Amunesc participa de reunião com MPF sobre obras da Costa do Encanto

Na reunião com MPF foram propostas soluções para a decisão judicial em primeira instância que determinou a paralização das obras da Costa do Encanto (Foto Ariele Cardoso)

Na reunião com MPF foram propostas soluções para a decisão judicial em primeira instância que determinou a paralização das obras da Costa do Encanto (Foto Ariele Cardoso)

 

A Associação dos Municípios do Nordeste de Santa Catarina (Amunesc), representada pelo secretário-executivo Tufi Michreff Neto e pelo engenheiro ambiental analista de projetos Nathan Gomes de Oliveira, participou de reunião no Ministério Público Federal na tarde desta segunda-feira. No encontro com o Procurador da República no município de Joinville, Tiago Alzuguir Gutierrez, foram propostas soluções para a decisão judicial em primeira instância que determinou a paralização das obras da Costa do Encanto. Para Gutierrez, a reunião foi produtiva. “As propostas começaram a aparecer e a gente conseguiu definir os próximos passos para fazer o detalhamento das ações. A gente deu um passo hoje e já assumiu alguns compromissos que vão definir os passos seguintes”, afirmou.

 

Segundo Tufi, trata-se de uma união de esforços entre a Amunesc, os municípios, o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) e a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (SIE). “Temos de procurar uma solução para o imbróglio e poder dar continuidade às obras com segurança ambiental”, disse. O secretário-executivo esclarece que será elaborado um Termo de Referência, em conjunto com todas as entidades envolvidas, para a contratação de uma Avaliação Ambiental Estratégica. Trata-se de uma alternativa ao Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) solicitado pela ação judicial, e questionado pelas entidades por se tratar de um estudo que deveria ser realizado previamente à execução de obras que, em boa parte, já foram concluídas.

 

Além da elaboração do Termo de Referência a Amunesc também irá propor, nas discussões dos Planos Diretores dos municípios impactados pelas obras, medidas que garantirão a ocupação ordenada e a preservação ambiental nos trechos da Costa do Encanto. Além disso, a SIE fará um levantamento de todas as ações que já foram feitas no sentido de garantir a preservação do meio-ambiente. Os estudos serão apresentados para o juiz responsável pelo caso, em audiência agendada para o próximo dia 24.

 

Também participaram da reunião representantes do IMA e da SIE, além de membros da OAP Consultores Associados, empresa responsável pelos estudos ambientais já realizados envolvendo a Costa do Encanto.

 

 

Em março de 2013 foi quando começou a história do Folha Babitonga na versão impressa. De lá para cá muita coisa mudou e o jornal buscou se adequar as novas mídias. Por isso, em março de 2019 entramos em uma nova era. O Folha Babitonga tem se destacado pela produção de conteúdos próprios e focados em São Francisco do Sul. Para manter este trabalho, estamos realizando a campanha de contribuição. Sim. Os conteúdos permanecerão de acesso livre a todos os leitores.  Faça uma contribuição para nos ajudar a entregar um jornalismo comprometido com São Francisco do Sul e independente. Apoie o Folha Babitonga a partir de R$ 10. Obrigado.