Divergências causam racha no PSL de São Francisco do Sul

Peretti (ao centro) diz que nova executiva tem aval da executiva catarinense

Peretti (ao centro) diz que nova executiva tem aval da executiva catarinense

A situação do PSL francisquense não é das boas, a exemplo do que vem acontecendo em todo o país. Nos últimos dias as divergências internas do partido vieram a tona, inclusive com vazamento de áudios, por causa de nomeações de dirigentes partidários para cargos no Porto de São Franscisco do Sul. Segundo Anderson Peretti, em breve a situação será regularizada, inclusive com a nomeação da nova executiva. “Estamos esperando sair a prestação de contas do TRE para ser ativado o partido”, comenta.

 

Peretti afirma que há um grupo descontente e que quer o comando da sigla. “Um grupo que nunca nos ajudou em nada e que depois da vitória querem a executiva. Isso está em todo o Brasil”, disse Peretti.

Conforme o pesselista, o clima é de radicalidade. “Sentei com eles para tentar compor. Mas chega a ser até cômico. Eles dizem que aceitam fazer a composição desde que eu não seja o presidente e que eles indiquem os candidatos a prefeito e vice nas próximas eleições”, relata. Peretti diz que por causa destas atitudes não avançaram as conversas.

 

A composição da nova executiva já está pronta com Peretti como presidente e Deivid Carvalho como vice. “Agora estamos esperando sair a prestação de contas do TRE para ser ativado o partido”, comenta. Segundo ele, a executiva estadual do partido já aprovou o novo comando.

 

A situação do partido estaria inativo desde 2017 por que a antiga executiva perdeu o prazo e não fez prestação de contas. “Em 17 de abril fizemos a prestação de contas de 2017 e de 2018”, comenta. Agora é esperar o deferimento do juiz do TRE para o PSL local ser reativado.

 

A exemplo do que acontece em todo o país os diretórios estão todos como provisórios e não há data para que aconteçam eleições internas.

O Folha Babitonga tentou contato com um dos possíveis descontentes com o partido, mas até o momento não houve retorno.

Em março de 2013 foi quando começou a história do Folha Babitonga na versão impressa. De lá para cá muita coisa mudou e o jornal buscou se adequar as novas mídias. Por isso, em março de 2019 entramos em uma nova era. O Folha Babitonga tem se destacado pela produção de conteúdos próprios e focados em São Francisco do Sul. Para manter este trabalho, estamos realizando a campanha de contribuição. Sim. Os conteúdos permanecerão de acesso livre a todos os leitores.  Faça uma contribuição para nos ajudar a entregar um jornalismo comprometido com São Francisco do Sul e independente. Apoie o Folha Babitonga a partir de R$ 10. Obrigado.