Melhores preços é o diferencial para concorrer com Havan

O empresário Flávio da Silva acredita que haverá um mês com queda nas vendas, mas que aos poucos os clientes voltarão

O empresário Flávio da Silva acredita que haverá um mês com queda nas vendas, mas que aos poucos os clientes voltarão

 

É uma novidade na cidade e as pessoas gostam das novidades, mas quando começar a comparar os preços, voltarão a comprar com o comércio local

 

A inauguração da loja Havan no final de semana, com a presença de lideranças políticas como prefeito e alguns vereadores, movimentou, segundo a empresa, 30 mil pessoas no final de semana. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojista (CDL), Maurício Rodrigues, acredita que a nova loja irá afetar a queda do faturamento e poderá causar o fechamento de alguns comércios. “A esperança de todos é que não ocorra grandes problemas”, afirmou.

O empresário Flávio da Silva, proprietário de duas lojas de bazar na cidade, acredita que haverá um mês com queda nas vendas, mas que aos poucos os clientes voltarão. “Acompanho exemplos de outras cidades onde a loja abriu e por um momento caíram as vendas. É uma novidade na cidade e as pessoas gostam das novidades, mas quando começar a comparar os preços, voltarão a comprar com o comércio local”, comenta.

No sábado, segundo Silva, as vendas deram uma recuada de aproximadamente 5% em relação aos demais dias. “Na segunda-feira uma das lojas teve uma queda de 10% nas vendas e a outra não”, relata. Por causa disso, ele não acredita que haverá demissões por causa da Havan.

 

O negócio é esperar e ver como vai ficar depois. Sabemos que é novidade e isso chama muito a atenção da população

Silva visitou a Havan no sábado para saber como estavam os preços dos produtos que ele também vende e conta que viu valores acima do que tem na loja. “Quando o povo pesquisar, voltará a comprar conosco”, afirma. Conforme ele, há produtos da mesma marca com diferença de quase 80% no valor.

Outro fator, além do preço, que as lojas possuem para concorrer é a facilidade de parcelamento das compras em até 10x proposta. “Se o cliente for procurar preços virá comprar com a gente, se procurar condições de pagamento nós também temos”, garante.

O presidente do CDL explica que é preciso esperar para saber como o mercado vai se portar. “O negócio é esperar e ver como vai ficar depois. Sabemos que é novidade e isso chama muito a atenção da população”, comenta.

 

Em março de 2013 foi quando começou a história do Folha Babitonga na versão impressa. De lá para cá muita coisa mudou e o jornal buscou se adequar as novas mídias. Por isso, em março de 2019 entramos em uma nova era. O Folha Babitonga tem se destacado pela produção de conteúdos próprios e focados em São Francisco do Sul. Para manter este trabalho, estamos realizando a campanha de contribuição. Sim. Os conteúdos permanecerão de acesso livre a todos os leitores.  Faça uma contribuição para nos ajudar a entregar um jornalismo comprometido com São Francisco do Sul e independente. Apoie o Folha Babitonga a partir de R$ 10. Obrigado.