Placas Mercosul: novo prazo para implantar é 31 de janeiro de 2020

Detran tem até 31 de janeiro de 2020 para implantar placas do Mercosul

Detran tem até 31 de janeiro de 2020 para implantar placas do Mercosul

 

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou na sexta-feira, dia 28, a Resolução 780/2019, que definiu a data de 31 de janeiro de 2020 para a implantação das Placas de Identificação Veicular (PIV) em todo o país. Sandra Mara Pereira, diretora do Detran, explica que o desenvolvimento do sistema para a implantação das novas placas está em estágio avançado em Santa Catarina. “Entendemos ser mais prudente aguardar a definição do Governo Federal para não onerar os nossos usuários sem a devida necessidade”, ressaltou a diretora.,

 

A nova resolução traz algumas alterações em relação as exigências iniciais e exclui a necessidade de alguns itens de segurança, como película refletiva dos caracteres e ondas sinusoidais. A nova placa deixa de ser obrigatória em caso de transferência de propriedade sem alteração na cidade de domicílio do proprietário do veículo. Também houve alterações no cadastro e na fiscalização dos fabricantes e estampadores dos novos modelos.

 

A resolução determina que o novo modelo seja obrigatório no primeiro emplacamento e também nos casos de mudança de município ou estado de registro; alteração de categoria do veículo; furto, extravio, roubo ou dano e, em casos de necessidade de segunda placa traseira – para reboques ou carrocerias transportadas no engate dos veículos.

 

Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a adoção do novo modelo de placa alfanumérico, com o formato três letras, um número, uma letra e dois números, resolve, de forma gradual, o problema da falta de combinação de caracteres para as placas do país. A mudança traz a possibilidade de mais de 450 milhões de combinações, o que, considerando o padrão de crescimento da frota de veículos no Brasil, deve atender as necessidades pelos próximos cem anos.

 

 

Em março de 2013 foi quando começou a história do Folha Babitonga na versão impressa. De lá para cá muita coisa mudou e o jornal buscou se adequar as novas mídias. Por isso, em março de 2019 entramos em uma nova era. O Folha Babitonga tem se destacado pela produção de conteúdos próprios e focados em São Francisco do Sul. Para manter este trabalho, estamos realizando a campanha de contribuição. Sim. Os conteúdos permanecerão de acesso livre a todos os leitores.  Faça uma contribuição para nos ajudar a entregar um jornalismo comprometido com São Francisco do Sul e independente. Apoie o Folha Babitonga a partir de R$ 10. Obrigado.