Porto Itapoá completa oito anos de operação com movimentação recorde

16 de junho de 2011 marcou o início das operações do Terminal com o recebimento do primeiro navio

 

16 de junho de 2011 marcou o início das operações do Terminal com o recebimento do primeiro navio

Há oito anos, 16 de junho de 2011, o Porto Itapoá recebia o primeiro navio, Cap San Lorenzo. Daquela noite até hoje foram mais de quatro mil navios operados e quatro milhões de TEUs movimentados, consolidando o Porto Itapoá como um dos maiores e mais importantes terminais portuários do Brasil. Além de celebrar essa trajetória de sucesso, o Porto Itapoá também comemora o bom momento atual. Em maio realizou a movimentação de 38.812 contêineres (65 mil TEUs), a maior deste mês entre os portos catarinenses.

 

Maio também registrou o segundo maior número de atracações em um único mês nestes oito anos. Foram 55 navios, número apenas superado por outubro de 2013, com 57 atracações. No acumulado de 2019 já foram contabilizados 310 mil TEUs movimentados em Itapoá.


O projeto do Terminal nasce no ano de 1993, a partir da soma de ideias, desejos, conhecimento técnico e muita vontade de empreender da Família Battistella. De 1993 até 2004 caminharam por todos os cantos do País e do mundo buscando viabilizar o negócio, seja na aprovação dos licenciamentos e autorizações necessárias, seja na construção de parcerias para garantir a efetivação do projeto. Com a chegada dos dois novos sócios em 2005, Aliança Navegação e Logística e LOG Z, o Porto Itapoá começa a ganhar perspectiva e, em 2007, se iniciam as obras do Terminal.

 

Após quatro anos de construção, finalmente, no fim da tarde de 16 de junho de 2011, o navio Cap San Lorenzo, do armador Hamburg Süd, surgia na Baía da Babitonga para dar início às operações do Porto Itapoá.

Nesses oito anos, o Porto Itapoá alcançou a 5ª posição entre os terminais portuários de contêineres no País. Foram 87 mil TEUs movimentados no primeiro ano e, agora, em 2019, a previsão é se aproximar da marca dos 800 mil TEUs, o que colocaria o Terminal entre os três maiores do País em movimentação de contêineres.

Em 2011, a previsão, pautada no cenário que se apresentava na época, já indicava que o processo de ampliação seria inevitável, contudo, o plano inicial era que isso se iniciaria em 2018. No entanto, em dois anos de operação, a ocupação do Terminal alcançou 100% de sua capacidade. Ficou evidente que a aceitação do mercado de uma nova opção portuária indicava que seria possível acrescentar mais cargas via Porto Itapoá e provocando, assim, a antecipação do processo de ampliação, cuja primeira fase foi finalizada em 2018.

Até aqui já foram investidos recursos da ordem de R$ 1,2 bilhão nessas duas fases do projeto: a primeira, em operação desde junho de 2011, com uma capacidade de 500 mil TEUs/ano e, a segunda entregue em 2018, que elevou a capacidade para 1,2 milhão TEUs/ano. O projeto total do Porto Itapoá prevê ainda um adicional de investimento de R$ 1,7 bilhão para que se alcance a capacidade de movimentação de 2 milhões de TEUs/ano.

 

 

Referência do Setor em Gestão de Pessoas, Tecnologia e Inovação
Além de contêineres e, consequentemente, a riqueza da nossa indústria, pelo Porto Itapoá passam também histórias e conquistas. Alguns projetos desenvolvidos pelo Terminal têm estado na vanguarda das iniciativas portuárias do Brasil. Destaca-se, por exemplo o projeto Mulheres Portuárias, onde Itapoá se torna o primeiro porto do Brasil, e um dos primeiros no mundo, a incentivar mulheres a trabalharem em um ambiente portuário. A empresa foi o primeiro empreendimento portuário a figurar na lista dos melhores em Gestão de Pessoas, em pesquisa da Aon Hewitt/Valor Econômico. O Terminal ainda constou em primeiro lugar na lista ILOS/ jornal O Estado de S. Paulo, como o melhor porto na visão dos clientes.

Em termos de tecnologia o Porto Itapoá foi o primeiro porto a implantar o Sistema NAVIS/Sparcs N4 no Brasil, bem como, o primeiro terminal a implantar o sistema ERP SAP/4HANA. Em Itapoá também nasceram projetos pioneiros de portais específicos para a operação portuária, junto à Receita Federal e Ministério da Agricultura.

Em 2019, uma das mais recentes premiações concedidas ao Porto Itapoá esta ligada ao aspecto da Inovação. Em março, a marca foi reconhecida como uma das 50 empresas mais inovadoras do Sul do País e o único porto a figurar no tradicional ranking de inovação da Revista Amanhã / GIMI / IXL-Center.


Para completar, a empresa figura desde 2017 como o Porto com os clientes mais fiéis e satisfeitos do País, de acordo com o Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente – IBRC e da Revista Exame, fruto de um trabalho focado na qualidade do atendimento ao cliente e capacidade de resolver questões comerciais e operacionais, projeto também inovador no ambiente portuário brasileiro, valendo ao Terminal um índice de recomendação dos clientes (NPS) de 76 pontos, um dos mais altos do mundo.

Atuação Socioambiental consistente e premiada
Desde o início das operações o Porto Itapoá desenvolve uma série de ações socioambientais com o foco dirigido para o desenvolvimento local. Hoje, essas ações se transformaram em programas inseridos na estratégia de sustentabilidade na empresa. Destaca-se, dentre estes, os programas Geração Turismo, Geração Pesca e Geração Agricultura, cujos objetivos estão relacionados à geração de renda e desenvolvimento do conceito de autonomia socioeconômica.

 

Nessa linha de desenvolvimento da autonomia social e econômica, o grande expoente dentre os projetos promovidos pelo porto é o Programa Ampliar, recomendado aos mais importantes prêmios do setor Brasil afora, como a EcoBrasil2019 e o Navis 2019 Inspire Awards, realizado em San Francisco, na Califórnia. O Ampliar não se configura mais como uma iniciativa do Terminal, já conseguiu se consolidar como um programa da comunidade itapoaense, e é visto como um importante meio de valorização da cultura, história, cidadania e participação social no Município de Itapoá.

 

 

O Terminal trouxe uma dinâmica diferente para cidade. Além do investimento social, atualmente o Porto conta com 950 colaboradores diretos, o que significa quase 5.000 empregos, entre diretos e indiretos, para um município cuja população economicamente ativa gira em torno de 10.000 pessoas.

Além disso, o Porto Itapoá – e somando-se os demais empreendimentos da sua retroárea – é responsável por 80% da arrecadação tributária municipal. Adicionalmente, desde 2011 já foram investidos cerca de R$ 70 milhões, sendo R$ 33 milhões em acessos rodoviários no município, R$ 23 milhões para a estruturação da rede de energia elétrica e R$ 14 milhões em projetos nas áreas sociais e ambientais.

 

Em termos ambientais, a empresa é responsável por uma das maiores RPPNs (Reserva Particular do Patrimônio Natural) do Sul do País. Fruto do projeto de expansão do Terminal, que compensou em 10 vezes mais a área suprimida para a obra de ampliação, em forma de reserva legal dentro do Município de Itapoá, contígua à já existente Reserva Volta Velha, um dos atrativos turísticos de nossa Cidade.

 


 

Em março de 2013 foi quando começou a história do Folha Babitonga na versão impressa. De lá para cá muita coisa mudou e o jornal buscou se adequar as novas mídias. Por isso, em março de 2019 entramos em uma nova era. O Folha Babitonga tem se destacado pela produção de conteúdos próprios e focados em São Francisco do Sul. Para manter este trabalho, estamos realizando a campanha de contribuição. Sim. Os conteúdos permanecerão de acesso livre a todos os leitores.  Faça uma contribuição para nos ajudar a entregar um jornalismo comprometido com São Francisco do Sul e independente. Apoie o Folha Babitonga a partir de R$ 10. Obrigado.