Secretaria de Saúde emite nota sobre falta de remédios, mas não diz quantos estão em falta e onde

Imagem meramente ilustrativa

A questão da falta de medicamentos em São Francisco do Sul levantada pelos vereadores na última semana gerou confronto de informações, além da velha prática de só responder o que quer pelo executivo. A matéria, que inicialmente seria vinculada com a situação da Vila da Glória ampliou-se para o município inteiro pela denúncia ou reclamação de outros parlamentares. E a Secretaria Municipal de Saúde respondeu somente para as perguntas que lhe interessaram.

As perguntas enviadas para o executivo foram:
Falta de medicamentos
Ontem o vereador reclamou a falta de medicamentos na Vila da Glória

  • há falta de medicamentos? Quais?
  • só falta na Vila da Glória? E nos demais postos/UBSs/bairros?
  • quais os medicamentos estão em falta? (Repetida)
  • por que está em falta? Faltou licitação? Falta R$?
  • há previsão de quanto a situação voltará ao normal?

E a resposta veio, com a resposta de parte das perguntas.


Falta de medicamentos
Ontem o vereador reclamou a falta de medicamentos na Vila da Glória

  • há falta de medicamentos? Quais?
    Sim, alguns medicamentos em falta na unidade, são eles:
    Anlodipino 10 mg
    Captopril 50 mg
    Complexo B
    Cefalexina 500mg
    Diosmina
    Isordil 10 mg
    Metronidazol 250mg
    Norflaxacino 400 Mg
    Sulfato ferroso
    Sinvastatina 20 mg
  • só falta na Vila da Glória? E nos demais postos/UBSs/bairros?
    NÃO RESPONDIDA
  • quais os medicamentos estão em falta?
    Anlodipino 10 mg
    Captopril 50 mg
    Complexo B
    Cefalexina 500mg
    Diosmina
    Isordil 10 mg
    Metronidazol 250mg
    Norflaxacino 400 Mg
    Sulfato ferroso
    Sinvastatina 20 mg
  • por que está em falta? Faltou licitação? Falta R$?
    Problemas no reabastecimento do estoque. As medicações estão disponíveis no almoxarifado mas precisam ser solicitadas com duas semanas de antecedência, para que cheguem antes do término das medicações disponíveis. Os medicamentos estão disponíveis no estoque do almoxarifado.
  • há previsão de quanto a situação voltará ao normal?
    A previsão é de que os medicamentos sejam entregues na segunda-feira e a situação seja normalizada.

Pedimos escusas pelo equívoco, mas ainda estamos sem respostas de como está situação dos medicamentos em São Francisco do Sul. E, como diz o povo nas redes sociais, não é novidade a falta de remédios. Enfim…

Segue abaixo a nota emitida pela prefeitura

A Secretaria Municipal de Saúde, comunica, que em momento algum assumiu a veracidade das informações contidas na matéria do Jornal Folha da Babitonga, veiculada no dia 10/09/2019, através do Sr Nilson Antônio, publicada em: https://www.folhababitonga.com.br/alvaro-reclama-da-falta-de-medicamentos-e-secretaria-admite-falta-de-dez-tipos/.
Diante do que foi exposta, declaramos que:
A Secretaria Municipal de Saúde trabalha com aquisição de medicamentos, a partir de 02 (duas) vertentes, a primeira, o consórcio CISNORDESTE, modo mais econômico de aquisição de medicamentos, que acontece em parceria com outros municípios da região e a segunda, através de Licitação própria, onde são compradas as medicações que não foram contempladas no consórcio, por frustração de lote ou desistência das empresas vencedoras; o lapso temporal existente entre uma e outra, pode, por vezes, ocasionar a redução a quantidade mínima do estoque de nosso almoxarifado, levando a fracionamento dos pedidos.
Outra situação vivenciada, são os atrasos na entrega por parte dos fornecedores.
A falta de um ou outro medicamento nas Unidades Básicas de Saúde da Família ou Farmácia básica, quando ocorre, não se dá em virtude do fluxograma estabelecido de entrega do almoxarifado para a unidade dispensadora, para pedidos e entregas há cronograma estabelecido anualmente e acordado entre os coordenadores, não havendo o prazo de duas semanas entre pedido e entrega.
Informamos ainda, principalmente a título de acalmar a população que utiliza, que as medicações cloridrato de sertralina e cloridrato de amitriptilina são utilizados no tratamento de doenças como depressão, ansiedade, transtornos de humor e enurese noturna (ato de urinar durante o sono), a carbamazepina é utilizada no tratamento de Epilepsia, síndrome de abstinência alcoólica e algumas neuralgias; portanto, embora indispensáveis aos tratamentos, a falta delas não leva a ocorrência de óbito por si só, não sendo estas medicações de uso vital. Informações estas, que podem ser consultadas nas bulas contidas no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.
Em relação ao atendimento domiciliar, todas as Unidades Básicas de Saúde da Família, contam com o serviço, tanto para pessoas com privações relacionadas a mobilidade, quanto aquelas que estão temporariamente acamadas, ou apresentem quaisquer limitação, que as impossibilite de ir a unidade de saúde, basta que o atendimento seja solicitado por telefone ou através das Agentes Comunitárias de Saúde.
Por fim quanto ao deslocamento das pessoas, se dá apenas, quando as medicações são fornecidas via processo de alto custo do ESTADO, tal como em outro município, essa situação é centralizada; para as demais, a Farmácia Itinerante, atende quinzenalmente, nas unidades de saúde e fornece as medicações necessárias na proximidade da casa dos usuários do SUS.

Em março de 2013 foi quando começou a história do Folha Babitonga na versão impressa. De lá para cá muita coisa mudou e o jornal buscou se adequar as novas mídias. Por isso, em março de 2019 entramos em uma nova era. O Folha Babitonga tem se destacado pela produção de conteúdos próprios e focados em São Francisco do Sul. Para manter este trabalho, estamos realizando a campanha de contribuição. Sim. Os conteúdos permanecerão de acesso livre a todos os leitores.  Faça uma contribuição para nos ajudar a entregar um jornalismo comprometido com São Francisco do Sul e independente. Apoie o Folha Babitonga a partir de R$ 10. Obrigado.